Função da enzima amilase na digestão |

O complexo sistema digestivo requer uma série de enzimas para que o corpo absorva nutrientes e uma delas é a enzima amilase. Confira abaixo qual é a função da enzima amilase na digestão!

O que é amilase?

A amilase é uma enzima digestiva que atua no amido dos alimentos. A enzima amilase desempenha uma função importante na quebra dos alimentos em moléculas menores de carboidratos.

O corpo humano normalmente produz enzimas em dois locais, a saber, as glândulas salivares na boca (amilase salivar) e no pâncreas (amilase pancreática).

Função da enzima amilase

A principal função da enzima amilase na digestão é quebrar as ligações glicosídicas nas moléculas de amido. Ou seja, essas enzimas digestivas convertem os nutrientes dos carboidratos em açúcares simples.

Além disso, a amilase é dividida em três tipos, a saber:

  • alfa-amilase,
  • beta-amilase, e
  • gama-amilase.

Cada uma dessas três enzimas amilases age em uma parte diferente da molécula de carboidrato. Quando visualizado com base no local onde é produzido, aqui estão algumas das funções desta enzima digestiva.

Amilase salivar

A amilase salivar é uma enzima produzida pelas glândulas salivares da boca. Esta enzima inicia o processo de digestão dos alimentos, quebrando os amidos durante a mastigação.

A amilase irá então converter esses fragmentos de alimentos em maltose (um tipo menor de carboidrato). Se alimentos ricos em amido, como arroz ou batata, começarem a estalar na boca, você poderá sentir um leve gosto adocicado quando a maltose for liberada.

Amilase pancreática

Na verdade, o pâncreas produz cerca de 40% da enzima amilase, que desempenha uma função importante na digestão dos alimentos.

Inicialmente, essa enzima completará a digestão dos carboidratos e produzirá glicose. A glicose é uma pequena molécula que é absorvida pelo sangue e transportada por todo o corpo.

5 sintomas comuns de distúrbios digestivos e possíveis causas

Verifique os níveis de enzima amilase

Visto que a enzima amilase tem uma função importante no corpo, há momentos em que você precisa saber o nível dessa enzima digestiva por meio de um teste de amilase no sangue.

O teste da amilase é geralmente usado para ajudar a diagnosticar e monitorar a pancreatite aguda ou crônica (inflamação do pâncreas), bem como outros problemas pancreáticos.

Este teste também pode ser usado em conjunto com um teste de lipase para detectar doenças pancreáticas.

Pode ser solicitado que você faça esse exame se tiver vários sintomas de distúrbios do pâncreas e outros problemas digestivos, como:

  • náusea ou vômito,
  • forte dor de estômago,
  • febre e
  • perda de apetite.

Doenças devido a problemas com amilase

Se a amilase estiver na faixa normal, significa que essa enzima realizará sua função adequadamente. No entanto, os níveis de amilase muito altos podem indicar um problema no corpo. Abaixo estão as doenças que afetam o nível da enzima amilase.

1. Doença pancreática

Geralmente, níveis elevados de amilase no sangue podem ser um sinal de um problema no pâncreas, como pancreatite aguda.

A amilase no sangue é freqüentemente 4-6 vezes maior do que o normal na pancreatite aguda. Esse aumento pode ocorrer de 4 a 8 horas após a lesão do pâncreas.

Na verdade, esse nível de amilase pode continuar a aumentar até que a causa seja completamente tratada. Quando tratada, os níveis de amilase diminuem e começam a voltar ao normal para desempenhar uma função no processo digestivo.

Além da pancreatite aguda, outros problemas pancreáticos que podem afetar os níveis da enzima amilase incluem:

  • pancreatite crônica,
  • ascite pancreática,
  • pseudocisto, ou
  • trauma pancreático.

2. Problemas com saliva

Uma das doenças que afetam a saliva e tem impacto nos níveis da enzima amilase é a parotidite. Diz-se que a parotidite aumenta a isoamilase do tipo S devido a várias coisas, como:

  • trauma ou cirurgia de glândula salivar,
  • radiação para a área do pescoço que afeta a glândula parótida, e
  • cálculos do ducto salivar.

As glândulas salivares também podem ser danificadas devido ao abuso de álcool que entrou em um estágio crônico. A razão é que os níveis de amilase salivar são três vezes mais altos do que o normal em alguns pacientes com alcoolismo.

3. Doenças renais e hepáticas

Não apenas a doença pancreática, as funções renais e hepáticas prejudicadas também afetam os níveis de amilase, que obviamente podem interferir na função dessa enzima.

Por exemplo, a insuficiência renal pode desencadear um aumento na isoamilase do tipo S e do tipo P. Enquanto isso, a doença hepática (fígado) por hepatite ou cirrose pode desencadear o mesmo pico de amilase.

4. Distúrbios intestinais

Distúrbios intestinais, incluindo apendicite, peritonite e obstrução intestinal, geralmente causam níveis elevados de amilase.

Isso ocorre devido ao aumento da absorção de amilase do lúmen intestinal. Enquanto isso, a perfuração (formação de um orifício) no intestino está associada ao vazamento do conteúdo intestinal para o peritônio (membrana da parede do órgão), o que causa inflamação.

Essa condição também permite a absorção da amilase pelo peritônio inflamado. Como resultado, ocorre hiperamilasemia (níveis elevados de amilase).

5. Outros transtornos

Além das doenças já mencionadas, há uma série de condições que também podem desencadear os níveis de amilase no sangue, a saber:

  • gastroenterite (gripe estomacal),
  • úlcera estomacal,
  • colecistite,
  • macroamilasemia,
  • gravidez ectópica, e
  • efeitos colaterais de certos medicamentos.

Se você tiver dúvidas sobre a função da enzima amilase e problemas relacionados, consulte o seu médico.